Filmambiente 2011 - Filmes Vencedores

O encerramento do 1o filmambiente aconteceu no dia 24 de novembro, no Rio de Janeiro, com a cerimônia de premiação seguida da exibição do filme O Veneno Nosso de Cada Dia (Notre Poisson Quotidien) documentário francês de 2010, de Marie-Monique Robin.

A cerimônia foi aberta por Suzana Amado, diretora do festival, que fez um pequeno balanço do evento, que este ano exibiu 59 títulos de altíssima qualidade, em quatro espaços de exibição – Centro Cultural do Poder Judiciário, Instituto Moreira Salles, Jardim Botânico e Arteplex, além dos workshops de animação ministrados pela produtora canadense Elène Dallaire, no Instituto Moreira Salles e na escola OiKabum.

Suzana agradeceu o patrocínio da Oi e da Secretaria de Cultura, o apoio cultural da OIFuturo e à equipe que realizou o festival: Curador, Michael Greif, jurados Manoel de Almeida e Silva, Phillip Hartman e Slawomir Grunberg; e à sua equipe de produção (Marcio Guimarães, Bernardo Thedim, Rafael Alves, Bárbara Ramalho e Raquel Couto).

A diretora agradeceu ainda a todos os colaboradores do evento – Unic, Inst Goethe, Instituto Francês, o serviço Audiovisual da Embaixada da França, Pedro Amado e Fred Nobre – e à equipe de preparação: Manuel Amado Simões, criador da logomarca filmambiente; Tatiana Tabak, design que criou as peças gráficas e catálogo; e a artista plástica Ana Rosa, criadora do premio Tainá.

A sala cinco do Arteplex lotada conheceu então os vencedores da edição 2011 do Filmambiente.

Anunciado por Bernardo Thedim e Rafael Alves, O PREMIO DO PÚBLICO foi para Ensacola! (Bag it!), filme que recebeu mais de 76% da nota máximo do público que o assistiu. A diretora Suzan Beraza recebeu o Tainá e R$ 3.000,00.

A seguir o curador do filmambiente 2011, Michael Greif, anunciou a seleção do juri oficial.
O prêmio de MELHOR CURTA METRAGEM foi para Taba (Tribus), documentário brasileiro de 2011, com 16 minutos, de Marcos Pimentel, que receberá o Tainá e R$ 3.000,00

O prêmio de MELHOR LONGA METRAGEM foi dividido entre A Caminho da Eternidade (Into Eternity), documentário dinamarquês de 2010, de Michael Madsen, com 75 min e Comprar, Trocar, Comprar, (The Light Bulb Conspiracy), documentário espanhol também de 2010 e 75 minutos, de Cosima Dannoritzer.
Dividirão o premio de R$ 6.000,00 e receberão o troféu Tainá, que em Tupi significa Estrela.

Representando o júri, Phillip Hartman apresentou a seguir os prêmios especiais: duas MENÇÕES HONROSAS, que receberão o Tainá e R$ 1.000,00 cada: Água (Water), filme de ficção argentino de apenas um minuto, realizado por Fabian Sarla e Vamos brincar Novamente (Play Again), longa metragem documental de 75 minutos. A dinamarquesa Tonje Schei, diretora do filme e o produtor Lowan Stewart receberam os prêmios e Julio Santucho, argentino e um dos curadores do filmambiente 2012, recebeu o premio do curta em nome do realizador.